domingo, janeiro 07, 2007

Fundação do Núcleo do PT PUC-Rio em 26/10/2006

Relatório sobre Plenária (Dez 2006)

Ocorreu no dia 25 de dezembro de 2006 uma plenária do PT no sindicato dos bancários. Assinaram a convocatória a Democracia Socialista, o Coletivo de Educadores Socialistas (ambas tendências internas do partido), Saturnino Braga (senador), Alessandro Molon (deputado estadual), Florence Jacq (Movimento Pontos de Cultura), Juarez Magalhães (DM-Barra Mansa), Náustria (Núcleo do Largo do Machado dos Petroleiros), Romério (Presidente do Sintaclaus de Niterói).

Os companheiros do Núcleo do PT da PUC presentes foram Anderson Ignácio, Clarissa Ferreira, Leonardo Martins Barbosa e Vittorio Lo Bionco. Além das pessoas e entidades já mencionadas, também estavam presentes representantes do DCE da UFRJ (ligado a DS), pessoas ligadas ao CEASM (Centro de Ação Social da Maré), ao Núcleo do PT de São Pedro, o Vice-Diretor da UNE (também ligado à DS), representantes do Movimento PT, e muitos independentes, incluindo professores, estudantes e sindicalistas. A plenária foi a primeira reunião da tentativa de formação de um Campo com o intuito de disputar a hegemonia política no partido. É uma tentativa da auto-denominada esquerda do PT de se organizar e interferir de maneira mais concreta nos rumos do partido para os próximos anos, em especial 2008. É um objetivo também lidar com a questão do governo Sérgio Cabral – aparente ponto de maior discórida na plenária

Se a construção do campo foi um consenso, a participação no governo estadual foi apenas discutida. Alguns, como Alessandro Molon, defenderam uma postura de independência momentânea do partido em relação ao governo Sérgio Cabral, afim de que se possa travar uma discussão programática. O Movimento PT defendeu a saída imediata do PT do governo estadual. Outros participantes da mesa, no entanto, reconheceram que o PT já é parte do governo estadual, e mesmo se não fosse, precisaria tomar um lado. O argumento é que o PT, para ganhar força, não pode ficar indefinido entre situação e oposição. Além da importância estratégica do Rio de Janeiro para uma coalizão nacional entre PT e PMDB.
Fato é que o PT já faz parte do governo estadual com a presença dos secretários Carlos Minc e Benedita da Silva. Uma das intervenções da platéia ressaltou a importância da esquerda do PT se fazer presente e pressionar o governo através dos secretários de Saúde e Educação, respectivamente Sérgio Côrtes e Nelson Maculan. Dois nomes reconhecidos na sociedade civil, indicados pelo governo federal, e que tem tendências esquerdistas apesar de não vinculação direta com algum partido político.


O Núcleo do PT da PUC deve discutir dois pontos:

1) a participação ou não neste novo Campo político que se forma dentro do PT do Rio de Janeiro, mas que tem respaldo em uma ação nacional da chamada esquerda petista;

2) a participação do PT no governo Sérgio Cabral. Para ambas as discussões deve ser levado em conta a conjuntura política nacional, estadual, as eleições de 2008 para prefeitura

3) o III.Congresso Nacional do PT que se realizará em julho do ano que vem.
por Leonardo Martins Barbosa

Janeiro 2007.De Brasília... 19 horas

Pela ultima reunião vimos que o PT carioca terá participação no governo Cabral, e com isto Minc e Benedita como secretários do pee ‘e’medebista ...

I-
Bem já passou a reunião em que com placar apertado —11 a favor e oito abstenções(!!!) -O Léo acertou o placar, a executiva regional do PT aceitou participar do governo de Sérgio Cabral. O deputado Carlos Minc deverá será o futuro secretário de Meio Ambiente e a ex-governadora Benedita da Silva pode ser confirmada na pasta que fundirá Ação Social e Direitos Humanos. A dupla já recebeu convite de Cabral para ocupar esses cargos.

Bem, ficou claro que a decisão contrariou um grupo do partido. Candidato ao governo do estado derrotado no primeiro turno, Vladimir Palmeira sugeriu que a definição fosse adiada para segunda-feira, mas foi voto vencido: 10 a 9. E depois levou o assunto ao Diretório Regional do PT, na reunião de 2 de dezembro. “Vamos participar do governo de Sérgio Cabral. Mas tudo pode mudar”, disse o presidente do PT no Rio, Alberto Cantalice.

Meus caros ,por isto que ainda faço uma pergunta, já velha e que nem mudará coisa alguma, mas na qual insisto: È melhor estar Fora ou Dentro?Dentro ou Fora?Se acompanharmos a conjuntura nacional, óbvio, a resposta é mais que trigueira e exata, porém seria demagógico ou utópico(ou ambos)quando o Partido for Situação fazer sua Coalizão com um caráter Ideológico (e não também logístico ,diria...Uma vez que desde já as alianças de agora em muito podem amealhar determinadas disputas já para 2010...Para o bem ou mal, haja visto que isto uma vez mais pode descaracterizar o Partido )e quando estiver fora, ser a Oposição? Seria coerência partidária e ideológica (isto é, uma vez que muitos do partido tenham uma linha ideológica , como observamos através das decisões de não meramente acatar a tal “chapa de apoio e ‘seção’ no governo pee‘e’medebista)... Bem, mas segue ainda a chata pergunta: Dentro ou Fora? E quando ‘cairmos de pau’... qual desgaste pode ser feito ao partido com ‘seção’ no governo, uma vez que criticas virão...criticas nossas e da oposição (peefelista e pessedebista) e bem como teremos a atuação de Minc e Bené a mercê disto...

II -CAVEIRÃO

Ah,segundo informe do próprio Partido, uma ponta da polêmica girou em torno do preenchimento de cargos nas duas secretarias. A ala majoritária do PT, incluindo os indicados para os cargos, defenderam que os secretários tenham autonomia na escolha das equipes. O grupo de Vladimir, mais à esquerda, entende que a decisão deve ser do Partido- Ora, ora, nada de cartilhização, mas convenhamos, isto é preâmbulo para que haja então uma ala mais de Direita dentro do Partido?

Bem, no mais , o velho Vlad também criticou declarações do futuro secretário de Segurança Pública, José Beltrame, sobre o uso do ‘caveirão’, descartado antes pelo Sr.Cabral. “O secretário foi ambíguo. Não vamos tolerar o caveirão. Ele tem que deixar claro em que condições o veículo vai ser usado. Não serve para o PT entrar no Governo para sair dali daqui a quatro meses”.


Minc e Benedita foram econômicos nas palavras, anteciparam informações de que as duas pastas estão sucateadas e preferiram aguardar o anúncio oficial de seus nomes por Cabral. Espero que não se tornem capachos.Ou catapultem mais ainda o nome do Cabral...pois saibam,infelizmente já escutei/li até de petistas,que comemoraram a vitória do Cabral e inclusive sonham com sua vinda (impossível.Isooola!)para o PT...Alguns mais loucos(foi mal,mas,não dá para perdoar...)Isto é coisa de Web,Orkut,panfletagem de entusiastas ,alem de dicas obscuras dos direitistas de tendência centristas e esquerdistas(qual ala esta faltando mais?cada invenção!),falam que ele,Cabral, é a renovação típica do reflexo do panorama nacional ,inclusive para em 2010 cimentar uma decisão do PT assentir ,através da alianças já feitas agora, em prol de alguém do PMDB para a disputa de outros cargos e ...arré!da presidência...Absurdo!


III- Nomes do Rio no Ministério...

A grande imprensa anunciou: “O PT fluminense considera que está sub-representado no governo federal e quer mais espaço no novo ministério de Luiz Inácio Lula da Silva. Presidente do PT no Rio, Alberto Cantalice vai à reunião do Diretório Nacional da legenda em São Paulo, e terá encontro com a bancada federal da sigla. “Vamos traçar as reivindicações do Rio, que está sub-representado” declarou.

Para Cantalice,o PT do Rio tem nomes de competência técnica para os ministérios de Ciência e Tecnologia, Cidades e Saúde. Como exemplo de possíveis indicações, citou o senador Saturnino Braga. “É um excelente economista, um nome técnico de alta qualidade”, elogiou, acrescentando que qualquer deputado federal do partido seria uma possível indicação. Apesar da queixa com relação a cargos federais, Cantalice ponderou. “Como já disse o presidente, o PT está bem representado, ocupando o principal cargo, a Presidência”.

Em mais uma tentativa de formar o novo ministério, Lula encontra o deputado Michel Temer (SP), presidente do PMDB, que apoiou a candidatura de Geraldo Alckmin à Presidência. Argh...Ainda esta semana,Lula deverá se reunir com outras lideranças partidárias, como do PTB. O presidente também vai se encontrar com os governadores aliados

...Petistas,reuni-vos...
Lula em campanha Set 2006



E o PT chega aos seus 27 anos

O PT chega aos seus 27 anos de vida com um bom nível de organização. Atingindo a marca de mais 800 mil filiados de carteirinha, devidamente registrados no Cadastro Nacional de Filiados. Conseguiu-se também organizar o PT em 5.352 municípios brasileiros, equivalente a 96% do território nacional.


Em 2001, por ocasião do PED, o PT contava com 867.290 filiados, mas somente cerca de 100 mil estavam registrados no Cadastro Nacional. No PED votaram 221.740 filiados. O XII Encontro Nacional, em dezembro de 2001, aprovou o recadastramento dos filiados do PT, com prazo de encerramento em 30/06/2002. Posteriormente, considerando o período eleitoral e atendendo solicitações dos diretórios estaduais, o DN ampliou o prazo para 24/10/2002. Após a publicação da lista de recadastrados em dezembro de 2002, o DN concedeu novo prazo, até 15/02/2003, para que os filiados que não constassem da lista solicitassem seu recadastramento junto à instância de base. Findo o prazo, o PT atingiu a marca de 410.103 filiados.


Em setembro de 2003, o PT lançou a Campanha Nacional de Filiação, visando consolidar sua presença nos movimentos sociais e expandi-la em novos setores da sociedade, agregando forças para a disputa municipal de 2004. Um ano depois, chegamos às eleições com 700 mil filiados. Findo o processo eleitoral, os diretórios municipais encaminharam ao DN as novas filiações e atingimos a marca de 840 mil filiados em janeiro de 2005.


Quanto à organização territorial, também avançamos muito nestes 3 últimos anos. Concluído o PED 2001, o PT possuía 2.504 DM’s, representando 45% do total de municípios brasileiros. Posteriormente, com o PED Extraordinário, este número chegou a 2.882, atingindo a marca de 52% de municípios com DM. Atualmente, acrescidas as 2.463 Comissões Provisórias constituídas neste período (44% do total), chegamos a 96% de municípios com PT organizado, restando somente 213 municípios brasileiros (17%) sem presença organizativa do PT.


Mas este resultado também não é uniforme em todo o país: GO, PA, RJ, ES, MS, AM, RO, AC, AP e RR já atingiram 100% de municípios organizados, além do Distrito Federal, que não tem municípios, e se organiza por zonais. Entretanto, quatro estados (RN, PB, MA e AL) ainda mantém índice inferior a 90%.


A Democracia dentro do Partido


O Processo de Eleições Diretas permitirá um novo passo na organização do partido, quando as Comissões Provisórias terão a oportunidade de transformarem-se em efetivos diretórios municipais. Mas este processo não pode ser somente burocrático, tem que impactar a organização real dos petistas em cada município.

No processo de debates do PED precisamos definir um conjunto de ações que permitam o fortalecimento de nossas estruturas municipais, para que estas possam cada vez mais criar espaços de participação do conjunto dos filiados. Devemos sempre nos lembrar que a principal força do PT está na sua aguerrida militância. O ato de filiação ao PT é a expressão da indignação com as injustiças sociais. Mais que isso, é um engajamento na luta pela transformação da sociedade, pois o PT acredita que esta transformação só é possível a partir da participação política do conjunto da sociedade.Ao completar 27 anos, o PT deve renovar este compromisso na prática, definindo novas formas de organização que possam garantir a efetiva participação do filiado a partir de seu município. A participação efetiva do trabalhador é que definirá a qualidade e a velocidade da mudança que almejamos



13 !

Núcleo do Partido dos Trabalhadores na PUC/Rio -Núcleo Milton Santos.


Aos vinte e seis dias do mês de outubro do decorrente ano de dois mil e seis, por volta das quinze horas, nos pilotis do Edifício da Amizade, situado à Rua Marquês de São Vicente número 225, bairro da Gávea, na cidade do Rio de Janeiro, foi realizada a Reunião de fundação do Núcleo do Partido dos Trabalhadores na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (Puc-Rio).Nesta ocasião foi formada uma mesa para discussões onde o deputado Estadual Alessandro Molon pôde falar sobre a necessidade da organização da esquerda no país e em particular nesta universidade que foi e é celeiro de muitas discussões políticas, de onde saíram desde pensadores e cientistas políticos a participantes políticos com mandatos, onde o próprio pode servir como exemplo. Logo após passamos para uma discussão mais pessoal do próprio grupo que a partir de então são os fundadores deste núcleo, assim nomeados em ordem alfabética:

Alcimário Soares da Costa Júnior – Cadastro 1315354, Bruno Falci B. M. – Cadastro 2846276, Daniel Gaspar – Cadastro 2995245, Gustavo Proença da S. Mendonça- Cadastro 74989990353 , Leonardo M. Barbosa Cadastro 2820828, Manoela S. Barbosa – Cadastro 1196753, Maria de Nazareth de Abreu B. – Cadastro 1730442, Rodrigo M.Mathias – Cadastro 2812847, Vitório L. O. Lo Bianco -Cadastro 1743399 e Wellington de A.Freitas – Cadastro 3463551.

Demais filiando-se: Anderson Barbosa Ignácio, Bruno Ladvocat Cintra, Clarissa da Silva Ferreira, Clarissa L.Vieira A.da Cunha, Cláudio L.Quaresma Daflon, C.Armando de M.Aguiar, Filipe M.Scheles e Maurício A. da Silva.

Foi discutido e decidido ainda nesta ocasião os objetivos específicos deste que assim o são: primeiro objetivo é de agregar, congregar, reunir e organizar todos os filiados e participantes do Partido dos Trabalhadores desta região especificamente os que estão nesta universidade, sendo eles funcionários, professores e alunos. Tem ainda como segundo objetivo, garantir a organização política de seus membros e sua formação para uma participação mais ativa e esclarecida politicamente na sociedade em que vivemos, objetivando garantir a politização dos seus membros, os deste núcleo e aqueles a que o núcleo desejar atingir. Desta maneira foi consolidado a fundação deste mais novo núcleo do partido garantindo desta forma uma nova arena de discussões políticas neste importante espaço de criação de conhecimento.

Nesta ocasião, em especial, Alcimário Soares da Costa como secretário nesta ocasião, lavrou a presente ata que foi assinada todos os demais fundadores deste Núcleo.

Na reunião que data ao dia 19 de Dezembro de 2006 ,coube a decisão ao nome do núcleo, decisão esta via pleito, tendo por seguinte o nome vencedor de Milton Santos, aqui cabendo a este cidadão brasileiro , geógrafo , negro e intelectual de esquerda , esta singela a homenagem,
em lembrança a sua historia de luta e obstinação pelas causas sociais de nosso país.Milton Santos foi um advogado e um dos geográfos mais expoentes de nossa contemporaneidade cujo reconhecimento internacional evidenciou-se em suas inúmeras obras , tendo por mérito recebido em 1994 o Prêmio Vautrin Lud, considerado o Nobel da geografia. Milton Santos nascido em 1926 em Brotas de Macaubas, faleceu em 25 de junho de 2001 em São Paulo -Capital.














1 comentário:

Vittorio Lo Bianco disse...

Prestigiando o primeiro posto do nosso núcleo... e parabenizando a fundação! Saudações companheiros!